Copy
Ver este email no navegador

1. Liderou a denúncia que levou à cassação de Eduardo Cunha

Chico era o líder da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados em outubro de 2015 quando o partido, ao lado da Rede, entregou ao Conselho de Ética representação contra Eduardo Cunha (MDB-RJ), então presidente da Câmara. O documento pedia a cassação do mandato de Cunha por quebra de decoro parlamentar. Comprovadas as acusações de que tinha contas – que omitia – na Suíça, um ano depois Cunha foi cassado.

2. Votou contra o congelamento de gastos na Educação e na Saúde até 2037

Em outubro de 2016, Chico foi um dos 111 deputados (contra 366) que deram voto contrário à PEC 241, que previa o congelamento de gastos do governo ao longo de 20 anos. Como foi aprovada, a Emenda Constitucional 95 passou a valer em 2017. O resultado mais grave da proposta é uma notável redução de gastos com a Saúde e a Educação públicas, com grande impacto sobre a parcela mais pobre da população e estímulo aos negócios privados nas duas áreas.
 

3. Votou a favor das duas denúncias e pedidos de investigação de Michel Temer

Em coro com o grito das ruas, Chico e toda a bancada do PSOL votaram duas vezes pelo “Fora Temer”: a favor da investigação do presidente ilegítimo Michel Temer pelo Supremo Tribunal Federal. Primeiro, em fevereiro de 2017, com a denúncia de crime de corrupção passiva. Oito meses depois, Temer se livrou (mas não com o voto de Chico), da denúncia de obstrução de Justiça e organização criminosa.

4. É contra o aumento da idade mínima para a aposentadoria

Chico é contra a “Reforma” da Previdência proposta pelo governo Temer, que, entre outros pontos, aumentaria a idade mínima de aposentadoria para 65 anos para os homens e 62 para mulheres, exigindo 40 anos de contribuição para aposentadoria integral. O texto da falsa reforma é tão problemático que não houve consenso para a votação em 2017 e em 2018, já que a maioria dos deputados tem medo da resposta da população nas urnas se votarem a favor da proposta.

5. É a favor de reduzir os impostos para classe média e mais pobres e taxar grandes fortunas

Chico e o PSOL priorizam a luta pela reforma tributária progressiva, com maior taxação das grandes fortunas e alívio dos impostos sobre a classe média e classes mais pobres. Hoje, tem isenção de impostos quem tem aviões e iates, e pena quem paga IPVA de carro popular. Nossa proposta é diminuir gradativamente os impostos que incidem sobre o consumo, como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), por exemplo, e aumentar a taxação sobre patrimônio (lucros e dividendos) e renda.

Além disso, tem 10 propostas excelentes para o estado do Rio! Conheça e ajude a levar Chico ao Senado financiando sua campanha:

financio.chicoalencar.com.br
Se preferir, você pode atualizar or sair desta lista de emails.