Copy
 enfim cansados, 
tão exaustos que não há máscara facial, banho relaxante ou massagem milagrosa que salve. Tão cansados a ponto de entender que tal esgotamento vai muito além do trabalho, das piadas dos chefes, da promoção que não veio, da reunião que poderia ter sido um e-mail. Tão cansados a ponto de extrapolar os planos individuais e implorar por medidas coletivas. E se o autocuidado não conseguir nos curar? Talvez seja a hora de olhar para fora de nós mesmos, mudar a mentalidade e agir pela comunidade. Cansados de lutar sozinhos. 
Pensando em como compartilhar este texto?
Preparamos dois formatos de arte:
textão completo ou trecho impactante. É só escolher, salvar e postar! Ah, não esquece de marcar o nosso perfil: @newplan.journal. 
Verão chegou e tem playlist nova na área. Em parceria com nossa amiga e DJ, Clara Ribeiro, escolhemos só as melhores para ouvir enquanto lê.
PLAY>>
links que valem a leitura
 Você está sofrendo de “resenteeism”? A nova tendência no local de trabalho que é a sucessora do “quiet quitting” 
Depois do “quiet quitting”, o novo termo do mundo do trabalho é simples e encabeçado pela Geração Z. Sua definição vem do ato de permanecer em um emprego, no qual claramente você está infeliz, mas segue lá devido a preocupações com segurança, estabilidade e falta de opções melhores. A diferença é que agora você ressente sua escolha e deixa claro para todos como se sente. Mais transparente e direto? Talvez. Tem que ver se vai dar certo.
GLAMOUR (en)


 Como escapar da resolução clássica de perder peso em 2023? 
Infelizmente, nos acostumamos a viver rodeados por comentários e atitudes negativas com relação ao nosso próprio corpo. Basta o ano começar para talvez a mais famosa das metas entrar em cena: a expectativa pela perda de peso. Nesta matéria, terapeutas explicam como se desvencilhar de gatilhos que nos fazem sentir ainda piores e buscar por mudanças de perspectiva. Sempre é tempo.
REFINERY29 (en)

 Histórias de amor de verão 
Das épocas que se conhecia gente na vida física - e não virtual, das épocas de paixões avassaladoras, dos amores de praia, das amizades que sobem a serra e das que ficam por lá. Um amor de verão nunca se esquece.
GAMA (pt)
Leu e lembrou de alguém? É só compartilhar o link da edição!
eventos que valem o RSVP
Quinta-feira, 26 de janeiro de 2022
“Café da Manhã de Boas Ideias – Viagem como Terapia” por The School of Life 

Viajar é uma das poucas coisas que fazemos em tentativa de nos tornar mais felizes e pleno. Porém, nem sempre alcançamos os resultados desejados. Neste café de boas ideias, os participantes discutem sobre como devemos escolher um lugar para ir, de acordo com o nosso estado psicológico, o que podemos fazer quando chegarmos lá e como devemos guardar bons momentos em nossas mentes. Para se inscrever, é só clicar aqui.
se meu cansaço falasse
E se a gente descansasse como sociedade?
A grande promessa deste século reside na ideia de que, se você trabalhar duro o suficiente, poderá conseguir qualquer coisa. Na década de 1930, a ideia do sonho americano fez com que nossos pais e avós adquirissem o verdadeiro fascínio pela mobilidade ascendente. Agora que é a nossa vez, o contexto não ajuda; após uma recessão econômica, uma pandemia e uma polarização política extrema, tudo o que realmente queremos é uma pausa. Mas esqueça a caminhada de 10 minutos durante o almoço ou a máscara facial depois do trabalho, dado tudo que estamos enfrentando, os mini atos de “autocuidado” simplesmente não resolvem mais. Hoje, o descanso requerido é político, social e comunitário. Estes pilares formam a teoria - apelidada informalmente na internet de "radical rest" - a qual busca responder às demandas contínuas do capitalismo e a um sistema que repetidamente falha conosco. É um termo abrangente mas que engloba nossa crescente recusa em vender nossas almas em troca de promessas econômicas que não são cumpridas. 


//O termo em si não é novo
"Descanso radical", em tradução livre, não é um termo novo. O mesmo parece ter sido cunhado pelos próprios jovens millenials há mais de 10 anos. Na época, seus ideais encorajavam o afastamento do trabalho fazendo coisas como “desligar seu blackberry”, tirar uma soneca e fazer aulas de culinária. A maior diferença entre a onda pós 2020 e o hype de autocuidado nos anos 2010 é que o primeiro é menos apelativo do que o último, que postula o descanso como necessário para alcançar a tal "produtividade ideal". Na época, o “autocuidado” andava de mãos dadas com a cultura #GirlBoss; ainda a serviço do capitalismo mais do que qualquer coisa. Já agora, o novo tipo de descanso não nos pede apenas para fazer pausas, mas questiona a forma como agimos e pensamos.

//Cansados de se importar o tempo todo
Encabeçado pela Geração Z, o movimento vem sendo compartilhado no TikTok, por meio de hashtags como #DeepRest, #RadicalRest e #RestIsRadical. Ali, as conversas concentram-se muito mais no esgotamento em si do que em palavras e rituais de autocuidado. Por ali, os jovens se mostram cansados - até mesmo dos atos ativistas. Esqueça a ideia de que descanso é algo que você faz depois de se sentir esgotado (ou antes de voltar à rotina), o descanso agora se torna protagonista e é visto como um objetivo anticapitalista que corrigirá os erros geracionais. Será mesmo? Tomara que sim. 

//Colocando em prática
Tendo em vista que agora o descanso é esta escolha ativa, como exatamente devemos colocá-lo em prática? Primeiro, reconhecendo que a forma como funcionamos sob o capitalismo simplesmente não é sustentável. Essa exige que estejamos mentalmente e fisicamente envolvidos em nosso trabalho, ignorando algumas de nossas necessidades mais básicas, como descansar.
O segundo passo seria entender que há vários tipos de descanso, não apenas os mais conhecidos. E por fim, como terceiro passo poderíamos começar por pequenas atitudes. Que tal fazer uma lista de coisas que o ajudam a se sentir nutrido? Isso pode incluir desde atividades como conectar-se com a natureza até as menos intuitivas, como aprender sobre astrologia. Vale quase tudo, desde que a intenção não seja produzir algo tangível. Apoiar-se em um hobby que exige muito estudo, por exemplo, é uma linha tênue. O que começa como uma atividade “relaxante" pode rapidamente se transformar em uma missão singular para aperfeiçoar-se. 

 1.  Para quem não acredita em times pequenos, eis aqui uma lista de coisas incríveis que foram feitas por uma equipe (bem) enxuta.

 2. Já ouviu falar em forrozinho? Pois deveria. 

 3. O brasileiro de “The White Lotus”.
Vale lembrar que toda semana compartilhamos a planilha GIVE&GET pela qual você pode se conectar com pessoas que fazem parte da nossa comunidade. Além disso, deixamos disponíveis todos os downloads que já rolaram por aqui na nossa pasta NEW PLAN RESOURCES. Ilustrações Carol Coura.
responde esse e-mail? queremos conversar
@newplan.journal
Website






This email was sent to <<E-mail>>
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
New Plan Journal ® 2020 · São Paulo · São Paulo, SP 05018-010 · Brazil