Copy

FEBAB INFORMA 
Ano 2   Número Especial   Outubro 2016


INFORMATIVO ESPECIAL “ECOS DA IFLA”
A FEBAB incentiva a participação no Congresso Internacional da IFLA  pois acredita que é uma experiência extremamente enriquecedora.  De forma a compartilhar as experiências vivenciadas por colegas brasileiros, convidamos aqueles que estiveram na  82 edição do Congresso Internacional da IFLA , que aconteceu  no período de 13 a 19  de agosto de 2016, na cidade Columbus, Ohio (EUA), para relatar suas impressões sobre evento. O tema dessa edição foi “Conexões -  Colaboração -  Comunidade” e neste Informativo Especial  teremos os relatos dos colegas que aceitaram escrever. Lembramos que a FEBAB é filiada à IFLA , portanto reforçamos nosso convite para você se filiar ao movimento associativo ( as informações estão no site  www.febab.org.br)    Estando próximo à FEBAB você também estará por dentro de tudo que acontece na IFLA.  Agradecemos os colegas que  tornaram esse Informativo Especial possível. Alguns trabalhos apresentados na IFLA  por profissionais brasileiros serão publicados brevemente  em nossa Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação (RBBD).  Aproveite também para acessar o site da IFLA pelo http://library.ifla.org/ conhecer muitos trabalhos apresentados por profissionais de todas as partes do mundo.

Boa leitura! Participe do movimento associativo!




IFLA 2016 por Regiane Alcântara Bracchi (Coordenadora do Sistema de Bibliotecas da Unicamp e docente da Faculdade de Biblioteconomia da PUC-Campinas)

“Bibliotecas como lugares de experiência e aprendizagem”
As novas formas de acesso e uso do conhecimento exigem que as bibliotecas assumam novas competências, atuando de forma flexível e dinâmica, promovendo serviços e ferramentas que possibilitem o aprendizado individual e conjunto, por meio de experiências e compartilhamento de ideias. Nesse sentido, as bibliotecas devem dispor de materiais, ferramentas, instrumentos e tecnologias que possam ser úteis aos seus usuários no processo de produção de novos conhecimentos. 
Evidente que a informação continua sendo fator primordial para o desenvolvimento cognitivo individual e coletivo. No entanto, o desafio das bibliotecas consiste em entender quais outros instrumentos poderão ser úteis aos usuários no processo de aprendizagem, especialmente  por meio do fazer, da experiência e do compartilhamento. Nesse sentido, espaços markers, como makerspaces, fab labs e Studios digitais poderão ser grande aliados das unidades de informação.
Todas essas questões foram tratadas em diferentes sessões do IFLA Congress 2016, evidenciando que as bibliotecas  já não devem privilegiar apenas o acesso à informação, já que, na atualidade, o desafio consiste em prover experiências que privilegiem o desenvolvimento do indivíduo e um bom caminho para começar a pensar nesse novo cenário é fazendo um mapeamento para identificar quais instrumento poderia  despertar no seu usuário a criatividade e o aprendizado.
O futuro é agora e o desafio está posto! Que as bibliotecas possam assimilar suas novas competências e avançar como instrumentos essenciais na sociedade do conhecimento.


IFLA 2016 por Vanessa Labigalini e  Daniela Greeb (Instituto Relacionais, São Paulo, SP)
Nossa apresentação e presença na IFLA e IFLA/LAC, foi de profunda importância para nós do Tô na Rede e Relacionais. Nós somos assistentes sociais, coordenadoras do projeto que é patrocinado pela Fundação Bill e Melinda Gates, e não bibliotecárias, o que fez com que a junção de várias visões nos desse cada vez mais a certeza de que se faz necessária ao trabalhar com o universo chamado bibliotecas.
Fizemos inúmeros contatos e conhecemos pessoas de todo o mundo. Deu-nos a sensação clara de que trabalhar com comunidade não tem entrave, que trabalhar com o estímulo ao acesso e empoderamento dos talentos da comunidade é possível, que não tem barreiras. Energizou-nos e nos inspirou para chegar aos 5 continentes.
Nossa apresentação na IFLA / LAC, mesmo com pouco tempo, atingiu nosso objetivo que era nos apresentar a este universo e sensibilizar todos os presentes através do projeto do Tô na Rede para eu pudéssemos fazer em outras bibliotecas. E foi feito com muita alegria e compartilhares de inúmeras experiências.

Viva as bibliotecas do mundo, viva os bibliotecários em rede. Viva o Tô na Rede!

 

IFLA 2016 por Suzanna Louzada (Bibliotecária Jurídica no Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (MP/RS)
Em agosto de 2016 aconteceu o 82º World Library and Information Congress em Columbus-OH/EUA, cidade vizinha à sede da pioneira OCLC – Online Computer Library Center. O evento anual, promovido majestosamente pela IFLA – International Federation of Library Associations, contou com a presença de mais de 3.000 Bibliotecários de 145 países. Estes números falam por si só: lá foi possível acompanhar o que está sendo produzido na área na Ciência da Informação em todos os continentes do planeta. Incrível, não?! Do que pude acompanhar da extensa programação, notei que os temas que estão em evidência e merecem a nossa atenção são, especialmente: direito autoral e acesso aberto – seguidos do letramento informacional, educação continuada e a library advocacy. Além da oportunidade de aprender nas palestras, o congresso tem workshops e visitas às bibliotecas locais, proporcionando uma real possibilidade de formação de network profissional internacional, bem como espaço de interação e aprendizado direto com a prática dos colegas mundo a fora.
No ano que vem o evento acontecerá na cidade que é considerada pela UNESCO como a capital mundial do livro: Wrocław – Polônia. Para aqueles que pensam que o comparecimento demandaria um investimento muito maior do que lhes é possível, aviso: a IFLA, em parceria com outras entidades, tem um excelente projeto de bolsas – focado, principalmente, naqueles que estão indo ao evento pela primeira vez e nos recém-formados. Eu mesma fui contemplada por uma! Dá tempo de se inscrever no intensivo de inglês e planejar o comparecimento. Tenho certeza que você voltará com a energia renovada e os horizontes expandidos!
https://www.youtube.com/watch?v=Dyf5BS72esk

 
IFLA 2016 por Joeli Espirito Santo da Rocha (Bibliotecária na Divisão de Planejamento da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas - Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo).
Gostei muito de ter participado do “82º IFLA World Library and Information Congress” e espero ir a futuras edições. Avalio como positiva a participação, pois apresentamos o artigo “Bibliotecas Públicas de São Paulo e a cidade inclusiva do futuro”, no Satellite Meeting LAC. Esse artigo discute o trabalho que está sendo desenvolvido nas bibliotecas públicas municipais da cidade de São Paulo e serviços de extensão pela Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, além de apontar os serviços a serem implantados nas bibliotecas da cidade até o ano de 2030, tendo como base as diretrizes indicadas pelo Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca (PMLLLB), pelo Plano Municipal de Cultura do Município de São Paulo e por estudos territoriais.
Todas as atividades desenvolvidas durante o congresso foram fundamentais para o amadurecimento, o crescimento e a motivação profissional, visto que é um congresso diversificado e uma ótima oportunidade para fazer contato com profissionais de outros países. A programação é um pouco diferente dos congressos que ocorrem no Brasil, no que se refere a área de Biblioteconomia, pois a mesma é formada pelos Satellite Meetings (Encontros satélites temáticos que ocorrem em diversas cidades) e o encontro geral que é dividido em: Special Session (seções em que os delegados da IFLA discutem, votam e deliberam ações); Congress Programme (Programação do Congresso); Business Meeting (Grupos de Trabalho); Expo Pavilion/Tech Lab Session (Pavilhão de exposição, onde empresas apresentam produtos disponíveis no mercado para bibliotecas); e as Library Visits (Visitas Monitoradas a Bibliotecas).
 Em especial, a participação nas conferências gerais e temáticas da IFLA possibilitou conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pela organização. Organização esta que tem poder diplomático, investigativo, colaborativo e representativo dos interesses das bibliotecas e dos bibliotecários em nível mundial, colaborando com organizações internacionais como UNESCO, ISSO e órgãos governamentais. Durante o congresso ficou visível à força e importância dessa instituição, tendo em vista as discussões levantadas, a diversidade cultural dos povos presentes e as autoridades presentes da área da Biblioteconomia. Segundo informações divulgadas durante a seção de abertura do evento, estavam inscritos representantes de aproximadamente 200 países.


IFLA 2016 por Adriana Cybele Ferrari (Presidente da FEBAB e Assessora da USP)
É impossível acompanhar todo o evento, quando você recebe o programa começa até a ficar um pouco angustiado em fazer suas “seleções “ pois há coisas interessantes acontecendo simultaneamente. Como somos representantes do Brasil, integramos o Comitê de Bibliotecas Públicas e participamos ativamente do Comitê IFLA LAC tivemos uma agenda muito extensa de reuniões.  Assim, dentre uma série de excelentes trabalhos que assistimos, destacamos nossa participação em sessões abertas de dois prêmios internacionais.  O primeiro “Systematic Public Library of the Year” anunciou a melhor biblioteca pública do mundo  - Dokk1, Aarhus,  da Dinamarca que concorreu Chicago Public Library, Chinatown Branch, EUA, Geelong Library & Heritage Centre, Austrália e Success Public Library, Austrália
Os quatro concorrentes eram fortíssimos, mas o vencedor sem dúvidas mereceu a vitória. A biblioteca é extraordinária em todos os sentidos, com muita tecnologia, mas sobretudo com muita gente! Sim uma grande Biblioteca Viva! Esse prêmio é promovido em parceria com o Comitê de Bibliotecas Públicas do qual fazemos parte.  
Em outra sessão pudemos conhecer os vencedores do IFLA–BibLibre International Marketing Library Award for 2016 que foram:  1º. lugar:  Biblioteca Pública da Vancouver com a “Inspiration Lab Launch Campaign”, 2º. lugar com “Tuan Time - Each libary experience is a memorable treasure” da Biblioteca Universitária de Xiamen China e o 3º.lugar “Sushine Coast Libraries Pop Ups! Sunsihe Coast Libraries da Austrália.
Todos os projetos concorrentes são incríveis, mas ressaltamos o que mais nos surpreendeu, que foi o da China. A biblioteca trabalhou as emoções que acontecem na biblioteca universitária e não apenas os recursos que ela oferece. Olhando o projeto sentimos que há possibilidade de trabalhar essas dimensões em quaisquer tipologias de bibliotecas. Na verdade, eles procuraram mostrar a relação dos alunos com as bibliotecas e como ela impactou a vida deles.  Nas manifestações os alunos mencionaram que foi na biblioteca que eles encontraram seu primeiro amor. Incrível, torcemos para que essa experiência possa motivar projetos dessa natureza nas nossas bibliotecas!


Adriana Cybele Ferrari
Presidente da FEBAB




 

OUTUBRO
17


Lançamento!
Estande 36 da FEBAB - SNBU

Livro - EXPECT MORE
R. David Lenkes

 
15 hs



EXPECT MORE
R. Davis Lankes

Tradução: Jorge Prado

Mesmo com as bibliotecas existindo há anos, ainda se discute a sua necessidade. Em um mundo cada vez mais digital e conectado, precisamos de lugares com livros impressos em nossas cidades, universidades ou escolas? Se as bibliotecas não estão relacionadas com livros, com o que estariam? Em Expect More, David Lankes, vencedor em 2012 do Prêmio ABC-c110/Greenwood de Melhor Livro na Biblioteconomia, nos convida a aumentarmos nossas expectivas em relação às bibliotecas.

COMPRE AGORA


Queremos conhecer nossos profissionais.

A FEBAB precisa aprimorar seus canais de relacionamento com os profissionais. Assim, está realizando um levantamento das pessoas que trabalham no campo das bibliotecas e áreas correlatas, de todo o Brasil. É muito importante atualizar o seu cadastro. Não custa nada e leva menos de dois minutos. Divulgue para os seus colegas.  Serão realizados sorteios com as pessoas que se cadastrarem.
Atualize seu Cadastro