Copy
 
icon-email-light.png  +351 225 513 622    icon-email-light.png  cintesis.eu
Twitter YouTube
 
 
CINTESIS' NEWS                                                                                                                  ABRIL 2018
______________________________________________________________________________________
Porque é importante a identificação correta da afiliação científica?
 
 
 
 
 
A identificação correta da afiliação científica é extremamente importante ao nível da avaliação – individual e institucional -, reputação e, em última instância, do financiamento da investigação.

Enquanto alguns investigadores colocam as afiliações com base no local onde realizaram a investigação, outros reportam a afiliação com base no financiamento recebido e outros escolhem a afiliação pelo suporte institucional que receberam.

Apesar disso, não existe um consenso generalizado sobre a forma como os investigadores devem colocar a afiliação, o que suscita bastantes dúvidas e leva a inconsistências no registo de publicações científicas, projetos de investigação e comunicações nos meios de comunicação social.

Em termos de avaliação das unidades de I&D em Portugal, a FCT nem sempre foi consistente na forma como solicitou esta informação, pedindo por vezes o report dos outputs de todos os investigadores da equipa de investigação e, mais recentemente, apenas os outputs dos investigadores ‘integrados’, i.e., dos investigadores que dedicam mais tempo à unidade.

Devido à natureza do tipo de investigação que se produz no CINTESIS, sempre houve bastantes dúvidas na forma como a afiliação dos trabalhos deve ser colocada, o que levou a uma sub-representação destes outputs em relatórios institucionais, com consequências ao nível da reputação e do financiamento da unidade.

Desde 2013 que o CINTESIS apenas relata os outputs dos investigadores ‘integrados’ e isso está refletido nos relatórios científicos da FCT e na organização interna do sistema de reporting das publicações científicas que utilizamos – Authenticus.

A partir de 2016, o CINTESIS, devido ao maior volume de notícias e também por uma questão de aumento da notoriedade dos outputs da unidade, teve de assumir uma política de divulgação científica, apenas dando destaque a comunicações e eventos que façam referência direta e inequívoca ao CINTESIS.

A unidade – sem prejuízo de outras afiliações que os investigadores tenham de utilizar – segue as regras da afiliação científica da U.Porto, nas quais os investigadores devem colocar:
"Entity YYY, Faculty XXX, University of ZZZ, address of XXX", onde:
-    "Entity YYY" designa a unidade de I&D em que esteja integrado(a) o(a) autor(a);
-    Caso se aplique, a "Faculty XXX" designa a Faculdade em que esteja integrado(a) o(a) autor(a) ou a instituição que financia o trabalho do investigador.

O que se traduz em: 
CINTESIS, Faculty of Medicine, University of Porto, Rua Doutor Plácido da Costa, 4200-450, Porto, Portugal, no caso de trabalhos produzidos por investigadores CINTESIS baseados na Faculdade de Medicina da Unidade do Porto.


António Soares, PhD
Gestor Executivo do CINTESIS
 
 
Outras notícias
 
26 MAR - P3
Um grupo de investigadoras do CINTESIS e da Universidade de Aveiro (UA) procura jovens mulheres que tenham vencido ou estejam a lutar contra um cancro para responderem a um inquérito online. O objetivo é avaliar as preocupações reprodutivas e outros aspetos psicológicos e sociais em jovens com cancro, para desenvolver programas de apoio psicológico destinados às necessidades dessas mulheres, que lidam com problemas de fertilidade. Ver notícia »
22 MAR - CINTESIS
O Presidente da República visitou o stand do CINTESIS no Portugal eHealth Summit. Com Marcelo Rebelo de Sousa esteve Henrique Martins, dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS). Para além de ter marcado presença na feira, o CINTESIS fez-se representar nos debates e apresentações, através dos investigadores Ricardo Cruz Correia, Daniel Dias, Tiago Costa e Ricardo Santos e das spin-offs VirtualCare e HealthySystems. Ver fotos » 
 
 
05 MAR - LUSA
Um estudo clínico liderado por Jorge Polónia, médico e investigador do CINTESIS , demonstrou que para além do sódio (presente em elevadas quantidades no sal), o consumo de potássio também tem influência no surgimento de acidentes vasculares cerebrais (AVC) e outros problemas cardiovasculares. Contudo, ao contrário da ingestão de sódio, que deve ser reduzida, os níveis de potássio devem ser aumentados, alerta a equipa de investigação do CINTESIS. Ver notícia » 
26 FEV - SIC NOTÍCIAS
Um grupo de investigadores do CINTESIS e da NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa vai dar início a um projeto de investigação que pretende avaliar o efeito do consumo de cerveja na microbiota intestinal, no perfil metabólico e lipídico, e ainda perceber qual o papel do álcool nesse efeito, em indivíduos saudáveis. Liderado por Conceição Calhau, o ensaio clínico visa criar evidência científica que apoie a prática clínica . Ver notícia »
2 MAR - CINTESIS
O CINTESIS marcou uma forte presença nas I Jornadas de Nutrição do Serviço de Nutrição e Alimentação do Centro Hospitalar do Porto, que decorreram no dia 2 de março, no ICBAS. Júlio César Rocha (da comissão organizadora), Conceição Calhau e Nuno Borges foram os investigadores do CINTESIS em destaque nesta primeira edição, onde se debateu a necessidade de construir uma evidência científica robusta em Nutrição.   Ver notícia »
 
 
            PROFILE | ManEthics          
   Miguel 

   Ricou
          "A Psicologia deve ter
            uma palavra a dizer."
 
 
 
 
Idade: 45 anos | Grupo de Investigação: ManEthics
Linha Temática: LT1 - Medicina Preventiva & Desafios Societais
Áreas de Investigação: Psicologia, Ciências Sociais, Ciências Biomédicas, Ética

É psicólogo, docente e investigador arrojado, atrevendo-se a tocar em matérias que ainda são tabus. Miguel Ricou é atualmente investigador integrado do ManEthics, do CINTESIS, e autor de uma obra pioneira na área da Ética profissional. Educação sexual, aborto e eutanásia são algumas das suas áreas de estudo. Recentemente fundou a plataforma europeia “Wish to Die”, que visa dar um contributo para a discussão nesta matéria. 

Em 1991, ingressou no curso de Psicologia no Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte, onde conheceu Rui Nunes, seu professor, que o convidou a ingressar no Serviço de Bioética da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP). Corria o ano de 1996 e a investigação era sobre surdez. 

Ao mesmo tempo que dava aulas e consultas num consultório privado, fez o Mestrado em Bioética na FMUP com uma tese que resultou no livro “Ética e Psicologia: uma prática integrada”. Integrou projetos na área da toxicodependência e montou uma consulta de Psicologia no Centro de Saúde de Espinho, onde recebia os doentes da comunidade e os beneficiários do então chamado rendimento mínimo garantido. 

Fez sempre questão de conciliar a prática clínica com a docência e com a investigação. Participou na criação da Ordem dos Psicólogos, tendo sido responsável pela criação do Código Deontológico, onde estão plasmados os princípios éticos dos psicólogos portugueses, tema que desenvolveu no seu Doutoramento em Psicologia Clínica pela Universidade de Coimbra. Desde 2015, é presidente da Comissão de Ética, onde desenvolve um trabalho de mediação e de ajuda na tomada de decisões.

Como investigador do CINTESIS, concentra-se atualmente em dois projetos, um sobre a identidade da Psicologia em Portugal e outro sobre a eutanásia e o suicídio assistido. 


Ler mais »

Ambição a 1 ano?
A curto prazo, quero desenvolver dois projetos. O primeiro é sobre a identidade da Psicologia. Um estudo que fizemos mostra que a Psicologia é uma profissão com défice de identidade. As pessoas não conseguem definir exatamente o que fazemos. As respostas são muito díspares. Isso é grave, sobretudo com o aparecimento de profissões como o “coaching” ou o counselling”. Como membro do Board of Ethics da European Federation of Psychologists Associations (EFPA), espero que este estudo seja replicado noutros países e que se consiga desenvolver uma “marca” para a Psicologia. 
O segundo projeto é sobre eutanásia. Há pessoas que querem morrer, mas também há pessoas, nos países onde a eutanásia é legal, que dizem que querem, quando, de facto, não querem. As posições são dicotómicas, extremadas e inultrapassáveis, mas falta o contributo da Psicologia. Parece-me estranho que, quando estamos a discutir uma tomada de decisão tão séria, a Psicologia não tenha nada a dizer.



Ambição a 10 anos?
Se calhar, vou estar a fazer a mesma coisa. Quero trabalhar na Psicologia e na Ética e fazer um bom trabalho

Que vida para além da investigação?
Gosto de estar com a família e com os amigos, de forma descontraída, sem planos. 
 
 
Inovação, Eventos, Oportunidades, Notícias
 
PRÉMIO: Decorrem até 31 de maio as candidaturas ara o Prémio Saúde HINNT 2018. Este galardão pretende reconhecer e divulgar as melhores práticas de adoção das tecnologias de informação e comunicação (TIC) com vista à aproximação de um ambiente paperless conducente a ganhos relevantes para a segurança do doente, apoio à decisão clínica e eficiência global. Ler mais »
 
EVENTO: Estão abertas as inscrições para as III Jornadas de Investigação em Oncologia em Portugal. O evento decorre no dia 20 de abril, no IPO de Lisboa. A inscrição é gratuita e deverá ser submetida até dia 13 de abril de 2018, para o email ana.faria@ligacontracancro.pt.  Ler mais »

EVENTO:  Já estão abertas as inscrições para o Future of Computing, um evento que pretender trazer à discussão tendências, tecnologias, desafios e evolução que a computação vai enfrentar no futuro, sob o mote How will computers be in 2068?. As inscrições abriram a 15 de março e decorrem até 15 de abril .  Ler mais »

NOTÍCIA:  A Comissão Europeia quer reforçar a luta contra a partilha ilegal de conteúdos online. Neste âmbito, a CE divulgou um conjunto de medidas operacionais que devem ser adotadas por empresas e instituições.  Ler mais »
 
 
 
 
Footer Logo
 
Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Edição: António Soares | Redação: Olga Magalhães; Cláudia Azevedo 
Infografia e Imagem: Bárbara Mota; Pedro Sacadura 
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto 

Rua Dr. Plácido da Costa, s/n
4200-450, Porto,
Portugal
 
© 2018 Center for Health Technology and Services Research . All Rights Reserved. A equipa editorial do CINTESIS reserva-se o direito de selecionar os conteúdos informativos | Sugestões para cintesis@cintesis.eu 

Patrocinadores:
Facebook  
 
 
 






This email was sent to <<Email>>
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
Center for Health Technology and Services Research · Rua Dr. Plácido da Costa · Porto 4200-450 · Portugal

Email Marketing Powered by Mailchimp