Copy
N.º 11 | 26 de novembro de 2014
Quinzenal

NOTÍCIAS















 

(Photo: Walt Jabsco/flickr/cc)

 

Precisamos de revolucionários profissionais (em inglês)

Commom Dreams - 29 de outubro de 2014

Nenhuma revolta pode ter êxito sem revolucionários profissionais. Este/as revolucionário/as vivem fora das estruturas formais da sociedade. Vivem financeiramente inseguro/as. Dedicam as suas vidas a fomentar a mudança radical. Não perdem energia em apelos de reforma ao Poder. Estão preparado/as para quebrar leis. Mais do que ninguém, reconhecem a fragilidade das estruturas de autoridade. A revolução é a sua ocupação a tempo inteiro. E nenhuma revolução é possível sem ele/as.
E é o/a rebelde quem pode salvar-nos da tirania corporativa. Eu não sei se esses rebeldes terão sucesso. Mas sei que um mundo sem ele/as é impossível.
Crónica de Chris Hedges em CommomDreams.org.



É tempo de acabar com a desigualdade extrema (em inglês)

Oxfam - 29 de outubro de 2014

Do Gana à Alemanha, da África do Sul a Portugal, a distância entre ricos e pobres está a aumentar rapidamente e a desigualdade económica atingiu níveis extremos. Em 2013, sete em cada dez pessoas viviam em países onde a desigualdade económica era pior do que há 30 anos, e em 2014 a Oxfam calculou que apenas 85 pessoas possuíam tanta riqueza quanto a metade mais pobre da humanidade.
As consequências são corrosivas para todos e todas. A desigualdade extrema corrompe a política, prejudica o crescimento económico e impede a mobilidade social. Fomenta a criminalidade e até conflitos violentos, desperdiça talentos, frustra potenciais e arruína os alicerces da sociedade. O rápido crescimento da desigualdade económica extrema está a bloquear a eliminação da pobreza global. Hoje, centenas de milhões de pessoas não têm acesso a água potável e não têm comida suficiente para alimentar as suas famílias. Muitos trabalham até à exaustão apenas para sobreviver. Só poderemos melhorar a vida da maioria se lutarmos contra a extrema concentração de riqueza e poder nas mãos das elites.
O relatório da Oxfam está disponível em português (do Brasil) aqui.


 

Primeiro museu feminista abre as portas na Suécia (em castelhano)

Pulzo - 21 de novembro de 2014

O museu da História da Mulher, o primeiro museu feminista do mundo, abre suas portas no próximo sábado, 29 de novembro, em Umeå, pequena cidade localizada no norte da Suécia. O objetivo do museu será ouvir as vozes femininas e questionar ideias, normas e estruturas que limitam, hoje, as escolhas e as possibilidades de mulheres e homens. A iniciativa pretende envolver investigadores e criar um “museu vivo” que permita encontros e debates.

 

Construindo Samuel

Público - 23 de novembro de 2014

Nas pessoas transexuais, a sua identidade de género — a identificação psicológica como homem ou mulher — não corresponde ao sexo (biológico) com que nasceram. A socióloga Sandra Palma Saleiro, na sua tese de doutoramento "Transgéneros: Uma Abordagem Sociológica da Diversidade de Género", chama-lhe “descoincidência entre sexo e género”. Samuel nasceu rapariga mas sempre se sentiu como um homem. “A identidade de género tem que ver com o que sentimos que somos, é uma identificação psicológica”, explica, já o género é uma construção social: é ensinado e aprendido em sociedade.

 


Detekt: a nova ferramenta para detetar a vigilância dos governos

Amnistia Internacional - 20 de novembro de 2014

A Amnistia Internacional e um grupo de outras organizações de Direitos Humanos e de tecnologia lançou, no dia 20 de novembro, uma nova ferramenta que permite a jornalistas e a ativistas detetarem se os seus computadores estão a ser alvo de software de vigilância
O Detekt é a primeira ferramenta disponível para o público em geral, um programa gratuito e em código aberto, capaz de detetar os principais programas de vigilância spyware em computadores, alguns dos quais usados por Governos.


 

TIAC – Transparência e Integridade lança serviço gratuito Alerta Anticorrupção (ALAC)

TIAC – Transparência e Integridade, Associação Cívica - 25 de novembro de 2014

A TIAC lançou o serviço gratuito Alerta Anticorrupção (ALAC), uma ferramenta online que permite aos cidadãos reportarem de forma segura e confidencial suspeitas de corrupção ou abusos de que tenham conhecimento.
A Provedoria TIAC – Alerta Anticorrupção é um serviço da TIAC que presta aconselhamento gratuito e confidencial a vítimas e testemunhas de corrupção, encorajando e auxiliando os cidadãos a fazer valer os seus direitos e reportarem junto das autoridades competentes suspeitas de corrupção e abuso. 

 

Estamos fartos, dizemos basta! (em castelhano)

El País - 21 de novembro de 2014

Milhares de estudantes e organizações sociais marcharam pelas ruas do centro da Cidade do México, em solidariedade com os 43 estudantes desaparecidos desde 26 de setembro. Omar Garcia, um dos alunos da Escola Rural Ayotzinapa Normal, espera que estas manifestações consigam  transmitir a sua mensagem de uma forma muito clara: é hora de "começar a mudar México".
Os 43 alunos mexicanos desapareceram após uma manifestação contra as reformas no ensino, contestadas em todo o México. Os estudantes de Ayotzinapa, que o El País diz serem muito politizados, protestavam contra uma disposição relativa à contratação de professores, que passaria a dar preferência às escolas urbanas sobre as rurais.

 

Revolta em Ferguson: "Somos todos Michael Brown!"

Expresso - 25 de novembro de 2014

A violência deflagrou na madrugada desta terça-feira após o anúncio da deliberação do Grande Júri norte-americano: o polícia que alvejou mortalmente um jovem negro desarmado em Ferguson, Missouri, não foi condenado nem será julgado.
Há manifestações por todo o país, na sua maioria pacíficas, em que a população reage com palavras de ordem como "as vidas dos negros contam", como em Seattle, e "somos todos Michael Brown", em Nova Iorque. Em Los Angeles e noutros locais, entoou-se "Mãos ao ar! Não dispare!", o slogan que se tornou grito de revolta em protestos contra as mortes às mãos das forças policiais. "Justiça para Michael Brown" lia-se em cartazes empunhados por manifestantes em Chicago.
Apesar de não se registarem feridos graves, o chefe da polícia Jon Belmar declarou à Reuters que os distúrbios da noite e da madrugada são piores que os que se seguiram à morte de Michael Brown, em 9 de agosto. A Amnistia Internacional veio entretanto instar ao respeito absoluto pelo direito de manifestação pacífica após a decisão do júri. 
A Amnistia Internacional Estados Unidos tinha já expressado as suas preocupações e recomendações sobre os protestos no caso Michael Brown no relatório “On the Streets of America: Human Rights Abuses in Ferguson” (“Nas ruas da América: Violações de Direitos Humanos em Ferguson”). Este documento detalha as observações feitas no terreno pela equipa da organização de Direitos Humanos, incluindo análises aos métodos usados pela polícia, como as restrições frequentemente postas em campo para impedir as pessoas de se reunirem pacificamente nas ruas.
Mais informações sobre o caso podem ser acompanhadas aqui
ATIVISMOS

CAMPANHA: "16 dias de ativismo pelo fim da violência sobre as mulheres"


Marcou-se ontem o "Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres" declarado, em 1981, pelo 1º Encontro Feminista da América Latina e das Caraíbas para assinalar o homicídio violento das irmãs Mirabal, na mesma data, em 1960, pela ditadura de Rafael Trujillo, na República Dominicana. Como resultado do esforço das organizações dos direitos das mulheres, a Assembleia-Geral das Nações Unidas designou, oficialmente, 25 de Novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, em 1999.

Iniciada em 1991, 16 Dias de Activismo contra a Violência de Género” é uma campanha internacional que se realiza precisamente entre os dias 25 de Novembro e 10 de Dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos-, em mais de 140 países e que conta com o apoio da ONU. Esta campanha tem sido utilizada como uma importante estratégia de pessoas, grupos e organizações para promover a consciência local, regional, nacional e internacional sobre a violência contra as mulheres como uma violação dos Direitos Humanos; criar instrumentos de persuasão para que os governos implementem políticas públicas voltadas para a erradicação da violência contra as mulheres e demonstrar solidariedade às mulheres num trabalho de promoção da não-violência em todo o mundo.

Entre 25 de Novembro e 10 de Dezembro decorrem várias iniciativas, por todo o país, que podem ser acompanhadas aqui. Entre elas destaca-se a campanha “Nunca é tarde”, direcionada contra a violência doméstica exercida sobre as pessoas idosas, sobretudo as mulheres.

Segundo o jornal Público, o relatório intercalar do Observatório de Mulheres Assassinadas, divulgado pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, no final do mês de Julho, referia que só nos primeiros seis meses de 2014, 24 mulheres foram mortas, na maioria das vezes em casa e pela pessoa com quem mantinham ou tinham tido uma relação de intimidade. Ao jornal, a coordenadora do Observatório de Mulheres Assassinadas, Elisabete Brasil, adiantou que 27 foram alvo de tentativas de morte e sobreviveram “por sorte”.  O grupo etário que registou mais mortes foi o das mulheres com idades superiores a 65 anos (sete casos) a que correspondia 29% do total das situações. Seguiam-se os escalões dos 36 aos 50 anos e 51 aos 64 anos, cada um com 25% (seis casos). Entre os 24 e 35 anos, foram assassinadas quatro mulheres (17%).

CINEMA

No cinema estreia-se Pride (Orgulho, na versão portuguesa), uma comédia realizada por Matthew Warchus, que se inspira numa história real. Em 1984/85, um grupo de mineiros galeses entra numa das mais importantes disputas do Reino Unido, iniciando uma greve sem precedentes. A população, ciente dos problemas económicos deles e das suas famílias, junta-se-lhes em várias acções de solidariedade. Mas quem mais fundos consegue angariar é um grupo de activistas gays e lésbicas que, durante a marcha do Orgulho Gay, em Londres, vê nas lutas daqueles homens um reflexo das suas. Decididos a entregar em mãos o dinheiro que conseguiram, decidem partir para a Onllwyn, a pequena comunidade rural e mineira do País de Gales. Mas, para que a aliança entre os dois grupos resulte, os habitantes de Onllwyn terão de aprender a ultrapassar os preconceitos e os mal-entendidos.

 
No dia 20 de novembro assinalou-se o Dia da Memória pelas vítimas de crimes de ódio transfóbico, para lembrar as pessoas que a cada 32 horas morrem devido ao preconceito e ao ódio dirigido a transexuais, transgéneros e travestis. Altura para ver - ou rever- o documentário que acompanha a transformação do filho de Cher, Chaz, que nasceu Chastity.
Documentário completo dirigido por Fenton Bailey e Randy Barbato com legendas em português AQUI


de 25 de Novembro a 10 de Dezembro 


"20 dias pelos Direitos Humanos"

O Pelouro dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa leva a cabo uma série de iniciativas que comemoram os Direitos Humanos.


26 Novembro  

"Trabalho, Precariedade e Rebeliões Sociais" 

É hoje apresentada, em Coimbra, a edição nº103 da Revista Crítica de Ciências Sociais, às 21h30, no Café Santa Cruz.

 

até 9 de Dezembro  

Call for Papers "Jornadas da Educação Não Formal

No dia 10 de dezembro de 2014, no âmbito das Jornadas de Educação Não Formal, o Conselho Nacional de Juventude (CNJ) irá promover um dia de trabalho com os principais atores nacionais e europeus do tecido associativo juvenil sobre Instrumentos de Validação de Educação Não Formal e Youth Work.  Encontra-se aberta uma Chamada para Submissão de Posições/Artigos, até ao dia 9 de dezembro - sobre as seguintes temáticas: Instrumentos de Validação de Competências Adquiridas através de Processos de Educação Não Formal (como validar?/que instrumentos já promoves no seio da tua organização?) e Youth Work (Como definir? Quais deverão ser as qualificações/competências?). Enviar Posições/Artigos para: sara.silvestre@cnj.pt

 

10 de Dezembro  

Estreia nacional de Dreamocracy

Às 21h no Fórum Lisboa; às 22h no Festival Porto/Post/Doc , seguido de debate com a presença confirmada de José António Pinto, assistente social do Porto, conhecido como Chalana, e das realizadoras Raquel Freire e Valérie Mitteaux. Pede o teu convite AQUI.

FINANCIAMENTO

Crime Económico e Financeiro, Corrupção e Crime Ambiental

Até 30 de janeiro de 2015 podem ser submetidos projetos dentro da temática "Crime Económico e Financeiro" e "Corrupção e Crime Ambiental", da Direção-Geral de Assuntos Internos.
 

Projetos nacionais ou internacionais para ajuda a vítimas de violência ou crime

A Direção-Geral de Justiça tem aberta até 10 de fevereiro de 2015 uma linha de financiamento no âmbito do "Programa de Direitos, Igualdade e Cidadania" e "Programa de Justiça".

Share
Tweet
+1
Share
Forward
O nosso site
O nosso site
Facebook
Facebook
Twitter
Twitter
YouTube
YouTube
o nosso email
o nosso email
Quero receber o Panorama Academia Cidadã por email
Aumenta o impacto das nossas / tuas iniciativas!

Faz um donativo à Academia Cidadã (associação sem-fins lucrativos):
NIB 0035 01000 0031674930 80
Copyright © 2014 Academia Cidadã, All rights reserved.


Quero subscrever o boletim informativo "Panorama Academia Cidadã"

Quero deixar de receber o "Panorama Academia Cidadã" / unsubscribe from this list    Gerir subscrição / update subscription preferences

Email Marketing Powered by Mailchimp